Rádio Laser

Campinas é 3ª cidade com mais furtos de motocicletas

19 de maio de 2017
Campinas é 3ª cidade com mais furtos de motocicletas

Campinas (SP) é a terceira cidade do estado de São Paulo com mais furtos de motocicletas, segundo pesquisa feita pela Fundação Álvares Penteado e uma empresa de rastreamento, com base em dados da Secretaria da Segurança Pública. Além disso, ela está em sexto lugar na lista de cidades com mais roubos deste tipo de veículo. A Polícia Militar alega que há ações para combater crimes.

O levantamento divulgado nesta semana mostra que Campinas concentrou, em março deste ano, 2,9% dos furtos de motos registrados no estado; enquanto os roubos foram 3,7% do total. Neste período, as delegacias dos municípios paulistas contabilizaram, juntas, 3,4 mil crimes – representam uma ocorrência a cada quatro horas e meia. No primeiro trimestre, houve 9,5 mil furtos e roubos.

 O assistente financeiro Alan Pereira conta que foi vítima de dois assaltos. “Chegaram armado, o carona desceu apontando. Eu tive que entregar a moto”, explica. Ele lembra que nas duas ocasiões recuperou os veículos, porém, teve de gastar com rastreadores para evitar prejuízo de R$ 20 mil.

Já o motoboy Emerson Pereira teve a moto roubada neste ano. Ele paga seguro, rastreador e não trabalha no período noturno. “Não dá mais, é ganhar pouco e correr risco”, lamenta.

Furto de motos no estado

  1. São Paulo – 27,7%
  2. São José do Rio Preto – 3%
  3. Campinas – 2,9%
  4. Sorocaba – 2,4%
  5. Ribeirão Preto – 2,3%
  6. Santos – 2,2%
  7. Catanduva – 2%
  8. Piracicaba – 1,9%
  9. Santo André – 1,8%
  10. Hortolândia – 1,8%

Roubo de motos no estado

  1. São Paulo – 39,6%
  2. Osasco – 5,5%
  3. Diadema – 4,8%
  4. São Bernardo do Campo – 4,3%
  5. Guarulhos – 3,9%
  6. Campinas – 3,7%
  7. Santo André – 3,5%
  8. Ribeirão Preto – 2,3%
  9. Itaquaquecetuba – 1,8%
  10. Mauá – 1,6%

Horários com mais ocorrências

 De acordo com a pesquisa, a maior parte dos furtos ocorre nos períodos noturno (29,7%) e matutino (22,6%). Na sequência, são mencionadas a tarde (20,2%) e madrugada (17,2%). Os registros com hora incerta, segundo o levantamento, representam quase 10% dos casos.

Já os roubos, diz o boletim, estão concentrados principalmente à noite (50%) e de tarde (18,1%). Além disso, no período da manhã ocorreram 15,9% dos crimes, e na madrugada foram 15,7%.

 O que diz a PM?

Questionada sobre os furtos e roubos de motos nas cidades mencionadas pela pesquisa, a Polícia Militar alegou que faz patrulhamento preventivo e, para planejar ações, usa dados da Secretaria de Segurança. Além disso, a corporação destacou a importância do registro de ocorrências por vítimas.

Fonte: G1.com